Menu fechado

A igreja primitiva se reunia só nas casas?

Você já parou para estudar sobre o culto da igreja primitiva?

Aliás, para começar, o que é a Igreja? Crentes precisam mesmo frequentar reuniões uns com os outros? O que exatamente significa congregar?
Mesmo dizendo que são perguntas fáceis com respostas óbvias, evangélicos e desigrejados darão respostas opostas. Talvez, as respostas que temos dado a essas perguntas estejam sendo dadas de forma precipitada e seja por isso que, por causa de uma diversidade enorme de motivos insignificantes, tantos crentes estejam deixando suas igrejas.
Nesta lição, começaremos a pensar mais profundamente no que é a Igreja e por que, há mais de 2 mil anos sem cessar, os cristãos têm se reunido semana após semana para cultuar juntos.

O QUE A BÍBLIA DIZ

Em Atos 20, Paulo está no final de sua terceira viagem missionária, na praia de Mileto se despedindo da liderança de Éfeso. Os dois versos abaixo resumem tanto o chamado da Igreja quanto sua essência. Leia com atenção:
• Atos 20:24-25
Ao passo que Paulo diz estar testemunhando o Evangelho da graça, afirma que sua pregação era sobre o reino de Deus.
Essa expressão é importante para entendermos o que é a Igreja e respondermos as perguntas iniciais.
Deus é o Senhor do Universo. A humanidade, ao ser criada à sua imagem, deveria refletir esse domínio divino, algo que foi explicado ao primeiro casal desde o início.
• Gênesis 1:26-28
Quando o primeiro casal quebrou o acordo no Jardim do Éden, se rebelando contra Deus, a administração humana sobre a Terra foi inteiramente corrompida. Como resultado, a humanidade vem se opondo ao governo de Deus desde então. Por isso, a profecia que envolve a vinda do Messias é também a que envolve a chegada do Rei. Confira o que diz o mais conhecido salmo messiânico:
• Salmos 2:1-12
Essa é a razão pela qual Jesus é chamado de Rei. Por isso também, Ele mesmo, em seu ministério, dizia que o reino de Deus havia chegado com Ele. Além disso, a maioria das parábolas é uma comparação com esse reino.
• Lucas 11:20; 13:20
A ideia de Igreja vem desde o AT, onde vemos Deus escolher não pessoas isoladas, nem tratá-las de forma isolada, mas escolher uma nação, governar sobre ela e tratá-la como uma comunidade do povo de Deus. No AT, palavra hebraica para “comunidade” é qãhãl, que na versão feita pelos próprios judeus para a língua grega é traduzida por ekklesia, de onde vem a palavra “igreja”. A meta de uma comunidade de adoração (Gn 28:3) só foi alcançado após o êxodo do Egito, quando o povo chegou ao Monte Sinai. Ali foi onde Deus declarou e explicou que os israelitas eram sua propriedade especial, um reino de sacerdotes e uma nação separada. O Senhor prometeu habitar entre eles como seu Deus, e não individualmente, mas como comunidade.
• Êxodo 19:5-6; 29:45
No NT, há uma nova mensagem: esse governo de Deus chegou para todas as nações. Assim, os povos são convocados para essa mesma comunidade. Nos evangelhos, Mateus foi o único que usou a palavra “igreja” (no grego, ekklesia).
• Mateus 16:18; 18:17
Diferente das vezes que essa palavra é usada nas cartas de Paulo, onde se refere geralmente a uma igreja local, Mateus usa a palavra para se referir a todo o povo escolhido por Jesus para o seu reino.
Veja a analogia de Paulo para explicar a entrada de outros povos na comunidade do povo de Deus:
• Romanos 11:17
Com a chegada do reino de Deus, temos a origem de uma comunidade dos seguidores de Jesus.
A Igreja não é o reino. Ela é uma agência desse reino. É ela que o proclama e traz as pessoas para ele. A Igreja é o grupo de pessoas que compreendeu seu papel no mundo e sai pregando a vinda do reino, que tem a ver com (1) o domínio de Deus sobre tudo, (2) quem nós somos nesse reino, (3) a situação de rebelião que o mundo está e (4) o que o próprio Deus fez para reconciliar consigo um povo escolhido.
O próprio chamado universal de Jesus à igreja cristã é cumprido em comunidade: fazer discípulos.
• Mateus 28:19-20
Cristo só tem uma Igreja: o conjunto de salvos de todas as nações, em todas as épocas, desde Adão.
Mas podemos dizer que como comunidade do povo de Deus a Igreja existe desde de a escolha de Israel. No entanto, nascer nessa comunidade não significava ser povo de Deus. Essa é a diferença entre a Igreja Visível e a Igreja Invisível. A Igreja Invisível é composta por aquelas pessoas que reconhecem a Jesus como Senhor e Salvador de suas vidas, foram lavadas pelo seu sangue e foram seladas pelo Espírito Santo, e esse povo se reúne.
Hoje, nós geralmente usamos palavra “igreja” quando queremos falar do prédio onde os cristãos se reúnem para cultuar juntos a Deus. Não é errado usar a palavra dessa forma, pois ela ganhou esse significado com o passar dos anos. Mas isso não muda o fato de que, biblicamente, a Igreja de Cristo nunca se refere ao local, mas às pessoas.
A palavra “igreja” vem da palavra grega ekklesia, que apesar de ser uma palavra composta por outras duas (chamados e fora), tem um sentido diferente, que é de “assembleia convocada”, ou seja, uma reunião. Esse era o significado no grego secular da época de Jesus, e apesar do NT partir da mesma ideia, o texto sagrado o preenche de peso e valor muito maiores e mais específicos.
De qualquer forma, ao contrário do que afirmam aqueles que, por algum motivo, abandonaram a igreja institucional, igreja não se refere na Bíblia apenas à Igreja Invisível de Cristo (o conjunto de salvos de todos os lugares e em todas as épocas), mas também à igreja local, ou seja, a reunião desse povo.
E não, a igreja não se reunia apenas nas casas dos irmãos. Desde o início, a igreja já usava templos, incluindo o próprio templo judeu em Jerusalém.
• Atos 2:46; 5:42
Além do templo, os primeiros cristãos usavam também as próprias sinagogas para congregar.
• Tiago 2:1-2
Desde o início, a igreja verdadeira não apenas se reúne, mas é também ordenada a se reunir.
• Atos 2:1,42 • Hebreus 10:25

Deixar de se reunir com os irmãos é abandonar a comunhão dos irmãos, é dar as costas para o Corpo de Cristo, é rejeitar a doutrina dos apóstolos, portanto, rejeitar a própria fé cristã. Se você despreza o compromisso com uma comunidade de fé local e não obedece a Cristo celebrando com a comunidade a ceia do Senhor, nem promove evangelização e batismo de novos convertidos, você não tem nenhum motivo para crer que faz parte do povo de Deus.

Se quiser entender melhor o que é congregar, leia este post aqui ou solicite este material aqui.

Artigos relacionados