Menu fechado

Considerações sobre o caso de George Floyd

Por Frank Brito.

Minhas considerações sobre o caso de George Floyd:

  1. Com base nos vídeos, é evidente que o policial agiu de maneira criminosa e que ele deve severamente punido por isso. Aliás, parece que, antes desse acontecimento, já havia diversas queixas contra ele.
  2. Não há nenhuma evidência de que a motivação do policial foi o racismo.

O fato de ele ser branco e a vítima ser negra não é suficiente para provar que sua motivação para o crime foi o racismo. É possível que o policial seja racista, mas até o momento, não há evidências que comprovam isso. As pessoas, sem qualquer evidência, automaticamente presumiram que a motivação foi o racismo, como se todos os casos de injustiça contra negros fossem sempre motivados pelo racismo. Alguns divulgaram algumas imagens do policial, Derek Chauvin, em fotos racistas, mas já foi claramente comprovado que essas fotos são falsas.

Para lidar com o problema, precisamos entender o que realmente aconteceu e, para isso, precisamos de investigações. Por exemplo, um fato que precisa ser melhor investigado é o fato de que o policial, Derek Chauvin, e a vítima, George Floyd, já foram colegas de trabalho. Há alguns meses, eles trabalharam juntos na mesma boate, El Nuevo Rodeo. A dona da boate já deu entrevista e confirmou que os dois trabalharam juntos nessa boate. Então, há a possibilidade de que Derek Chauvin tinha algo pessoal contra George Floyd por alguma coisa que ficou mal resolvida do tempo em que eles trabalharam juntos. Não estou dizendo que, com certeza, é isso. Estou dizendo que é uma possibilidade real. O ponto é que, sem as investigações, somente com base nos vídeos, nós não podemos afirmar que a razão do crime foi X e Y. Os vídeos deixam claro que o abuso aconteceu, mas não revelam qual foi a motivação.

  1. Segundo diversas fontes, George Floyd se mudou para o Minessota para mudar de vida. Antes de se mudar para o Minessota, ele era criminoso e chegou a praticar um assalto em que ele invadiu a casa de uma mulher e colocou uma arma em sua barriga. Em 2009, ele foi sentenciado a 5 anos de prisão. Depois que ele saiu da cadeia, ele se mudou para o estado do Minessota e passou a trabalhar para o Salvation Army, que é uma das maiores organizações de caridade Estados Unidos. Ele também trabalhou como segurança na boate El Nuevo Rodeo e em um bar/restaurante chamado Conga Latin Bistro. Ele chegou a gravar um vídeo incentivando os jovens a não entrar no crime. Eu vi esse vídeo.
  2. Parece que, recentemente, ele tinha sido demitido do emprego por causa da crise do COVID-19.
  3. No contexto de sua morte, a polícia foi chamada porque ele tinha realizado uma compra com uma nota falsificada de 20 dólares. A pergunta é: por que ele estava tentando realizar uma compra com 20 dólares falsificados? Ele não sabia que era uma nota falsa? Acho difícil que não soubesse, pois, se ele não soubesse, me parece que o caso teria se resolvido sem a necessidade de chamar a polícia. Se ele usou a nota falsa intencionalmente, me parece que ele estava agindo no desespero. Uma possibilidade real é que ele estava desesperado por causa da demissão em meio à crise do COVID-19, o que faz com que a história seja ainda mais triste.
  4. A morte de George Floyd, nas circunstâncias em que aconteceu, prova a existência de um mau policial que deve ser punido severamente. Não prova que a polícia do Minnesota ou dos Estados Unidos é institucionalmente racista. Ontem eu postei a entrevista de Brandon Tatum, um ex-policial americano. Ele é negro, fala de sua longa experiência como policial negro nos Estados Unidos, e se mostra bastante incomodado com a ideia de que a polícia americana é institucionalmente racista.
  5. As pessoas que estão queimando as lojas e os estabelecimentos para protestar contra a morte de George Floyd estão prejudicando os próprios negros. Essas lojas e estabelecimentos não têm nada a ver com a morte de George Floyd. Para que essas comunidades negras cresçam e se desenvolvam, é necessário que essas lojas e empresas permaneçam na comunidade. Esse tipo de atitude afasta as empresas, faz com que poucos queiram abrir um negócio naquele bairro, pois correm o risco de ser vandalizados sem causa. Isso prejudica a própria comunidade negra, pois faz diminuir as oportunidades de trabalho.
  6. Os brancos ricos progressistas que estão apoiando esse vandalismo não passam de egoístas. Eu duvido que estariam apoiando o vandalismo se fosse no bairro deles. Eles apoiam porque são os negros destruindo a própria comunidade. Assim, é fácil ser apoiar a “revolução”.

Twitter Facebook Instagram

  • R$ 20,00
    Ou em até 1x de R$ 20,00
    Sem Juros - PagSeguro
  • R$ 26,00
    Ou em até 1x de R$ 26,00
    Sem Juros - PagSeguro
  • R$ 26,00
    Ou em até 1x de R$ 26,00
    Sem Juros - PagSeguro

Artigos relacionados